o artista


a primeira vez que te vi, que olhei o teu rasto na tela, comovi-me

não ia à espera de me comover

ia só ver uma exposição em Serralves num domingo de manhã

mas vi-te lá

e chorei por dentro

disseram-me que eras intratável

e que deixaste uma casa cheia de quadros que ainda estão a apodrecer

mas só recordo o toque

das tuas mãos no meu mundo

 

Pintura: 1946-H, Clifford Still

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s